terça-feira, 16 de março de 2010

Mulheres especiais: portadoras de deficiência recuperam auto-estima

 Amigos, no post sobre o projeto "Praia para Todos" eu havia prometido que a inclusão dos portadores de deficiência na sociedade seria abordada com mais frequência no blog. Sempre que eu tomar conhecimento de alguma iniciativa bacana, vou divulgar aqui. Coincidentemente, na edição de 7 anos da Revista Regional o jornalista Renato Lima fez uma reportagem apresentando o trabalho da fotógrafa Kica de Castro, para o qual eu deixo meus sinceros cumprimentos. Com a permissão dele, republico o texto na íntegra, logo abaixo. Antes de me despedir, deixo uma pergunta para as minhas leitoras: que acham de eu fazer um ensaio nesse sentido?


*********************************************************************************








Mulheres com deficiência física reencontram sua beleza, auto-estima e sensualidade ao tornarem-se modelos fotográficos 




Daiane Lopes, 28 anos, paralisia cerebral, vive em Apucarana, Paraná, e trabalha com atendimento ao público e é modelo fotográfico






Foto: Kica de Castro





Permitir que pessoas com deficiência elevassem sua auto-estima, reencontrassem sua beleza e sensualidade foi o que levou a fotógrafa paulistana Kica de Castro a criar uma agência de modelos totalmente especializada no assunto.

Tudo começou quando Kica chefiava o setor de fotografia de um centro de reabilitação de pessoas com algum tipo de deficiência física. "Vendo a baixa auto-estima desses pacientes resolvi criar a fototerapia, resgatava a auto-estima com auxílio das fotos. Levei para o setor alguns acessórios como bijus, pente, gel, espelho e revistas e transformei o local num estúdio”, lembra a fotógrafa.


Dois anos depois, os próprios pacientes passaram a cobrar de Kica oportunidades no mercado de trabalho. “Elas iam com o book nas agências e só escutavam não, não e mais não. Comecei uma pesquisa e vi que na Europa a coisa é evoluída, na Alemanha existe o concurso de beleza ‘A mais bela cadeirante’, na Inglaterra e na França tem reality show, estilo BBB, só que só para deficientes. Vendo os resultados na Europa, resolvi largar tudo e me dedicar exclusivamente à agência de modelos para pessoas com alguma deficiência”, conta.


Hoje, a agência conta com 67 modelos, homens e mulheres, na faixa de quatro a 60 anos. Segundo Kica, todos eles são profissionais que atuam em outras áreas, como músicos, psicólogos, atletas, enfermeiras, entre outros. “Já que se fala em inclusão, que se fale de tudo, incluindo a beleza e a sensualidade. Provamos que beleza e deficiência não são palavras opostas e que são consumidores e como tal precisam estar presente nas publicidades”, ressalta a fotógrafa que também é formada em Publicidade.


Para Kica, a fotografia tem importância fundamental no resgate da auto-estima das pessoas com deficiência. “A primeira sensação deles é a realização como pessoa, de ser bem bonita e de estar sendo reconhecida pela beleza e como profissional num mercado tão ditador, que é o da moda. Estamos na contramão dos padrões ditados pela sociedade na década de 60. Ser reconhecida como símbolo de beleza é a recompensa de um trabalho bem feito”, ressalta.

MAIS:
Os contatos de Kica de Castro são:
telefone: (11) 8131-0154
email: kicadecastro@gmail.com

Um comentário:

Wander Veroni disse...

Oi Piero!

Conheci seu blog por meio da entrevista ao Endrigo. Fico feliz de saber que tenho um colega de profissão talentoso e que corre atrás dos seus sonhos e objetivos.

Conheço o trabalho da Kika há alguns anos. E, sem brincadeira, é a melhor terapia de auto-estima que qualquer pessoa pode ganhar na vida, independente de como ela está.

Parabéns pelo blog!

Abraço,

http://cafecomnoticias.blogspot.com

Pesquisar este blog